Minha lista de blogs

domingo, 30 de março de 2008

EDUCADOR OU PROFESSOR?

A propósito de uma crônica que li há alguns dias num jornal de grande circulação, achei oportuno fazer a reflexão sobre a diferença , que para mim é muito clara, entre EDUCADOR e PROFESSOR.
Até poucos anos atrás era motivo de orgulho dizer-se que era Professor. De repente alguns movimentos começaram a tomar lugar e aos poucos se disseminaram de tal forma que parece que ser professor é qualquer coisa de insignificante. Que devemos nos autodeclarar educadores ou melhor ainda, trabalhadores em Educação.
Por que será que esta mudança de nomenclaturas foi sendo proposta a nós professores com tanta veemência? E como será que tão ingenuamente nos deixamos levar por esta linha de pensamento e fomos parar onde estamos?
Por que trabalhadores em Educação e, não Professor? Será que todo trabalhador em educação tem a mesma responsabilidade social e a mesma necessária capacitação e habilitação que é exigida de um professor? Serão os objetivos e funções desempenhadas equivalentes ou equiparáveis?
E por que dizer que somos todos educadores? Como seria maravilhoso trabalhar com a Educação, se todos fossem educadores, quando, na verdade, há neste mundo, muito mais deseducadores do que o contrário.
Educador é todo aquele que, voluntária, ou involuntariamente , transmite bons exemplos a outro. Não há para tanto, a menor necessidade de um preparo especial, de dedicação aos estudos em função do exercício de tal ato. Podemos nos educar até mesmo observando o comportamento dos seres da natureza, que não são humanos, mas nos dão maravilhosas lições de vida.
Muito distante, porém, desta espontaneidade de ações, está o cargo de Professor.
Para ser Professor, precisamos nos preparar árdua e incessantemente para desempenhar nossa função. Não nos basta intuição e boa vontade. Precisamos de conhecimentos específicos e, de quebra, atualmente, precisamos também, atuar como agentes de saúde, psicólogos, policiais e ainda, conhecer muito bem alguns estatutos, para que não incorramos na "falta gravíssima "de pronunciar algum vocàbulo que possa esbarrar no mal-entendido, que possa sequer dar margem à imaginação de que o professor quis ofender, discriminar ou humilhar. Porque daí, professor, salve-se se puder. Esqueceram que você também tem direitos a serem respeitados e estão a cada segundo querendo lembrá-lo, mais do que o necessário , das suas impossibilidades, das coisas que você (segundo eles) não pode, não deve, não tem o direito de fazer. Enganam-se . Professor é cidadão , e como tal, merece muito mais respeito do que está recebendo.
Acho que está mais do que na hora de hastearmos nossa bandeira e mostrarmos a esta sociedade, pela qual tanto fazemos, que queremos sim ser respeitados e valorizados... como PROFESSORES, isto é, profissionais muito bem qualificados e preparados para o exercício desta mal-remunerada, mas imensamente gratificante profissão.

Veja o que diz Rogério Mendelski em seu artigo no Correio do Povo de 04/05/2008.
Segundo ele, em Cingapura, país de primeiro mundo professor tem 100 horas/ano destinadas ao seu aperfeiçoamento e lá professor não é "trabalhador em educação", como querem aqui.


Quando nada parece dar certo, vou ver o cortador de pedras a martelar numa rocha talvez 100 vezes, sem que uma única rachadura apareça. Mas na centésima primeira martelada a pedra abre-se em duas e eu sei que não foi aquela que conseguiu isso, mas todas as que vieram antes.


(Jacob Riis)

6 comentários:

elizete gelain disse...

Iracélia,
Escreves muito bem como também tens o dom da palavra, és uma pessoa que sabe falar e argumentar muito bem. PARABÉNS seu texto está excelente, que tal publicar no DM?

Abraços,

Anônimo disse...

oiiiiiiiii! eu olhei os videos e os jogos .bjos camila t:31

Anônimo disse...

Iracélia,adorei o texto sobre professores e educadores! Como é verdade todas as colocações que fizeste!
O mesmo deveria ser entregue a cada família de nossa comunidade escolar e várias outras pessoas!Parabéns!!!
Marta

luciara disse...

Iracélia!
Adorei seu texto.Concordo plenamente com você. Quem sabe um dia seremos reconhecidas.Não vamos deixar de sonhar, mas eu espero que seja em um futuro próximo, senão...
Parabéns!
Luciara.

cideia disse...

Excelente texto. Como é bom ser professor/educador e ter orgulho do que faz com tanto amor e sabedoria.

Rian Lopes disse...

Cara Iracélia, gostei do texto. Entretanto, você deve interpretar a questão etimológica que aí se encontra. Professor vem do latim profitare, que significa aquele que professa algo. Bem como disseste, professor é psicólogo, amigo, policial, etc. Por isto que a palavra educador se encaixa melhor.Você fala em deseducador, este é um simples professador, um professor. Um educador não professa o conhecimento e sim o constrói. Tente ser um pouco menos bairrista. Pense nisto. Abraço